Após 39 anos de carreira política e 32 anos no Senado, José Agripino Maia fica sem mandato

349

São 39 anos ininterruptos entre a Prefeitura de Natal, Governo do Rio Grande do Norte e Senado Federal. Só no Senado são 32 anos. A soma de 4 mandatos. Esse é o currículo do senador José Agripino Maia (DEM), que pela primeira vez em todos esses anos, seguirá sem mandato. Foi pelas mãos do então governador Lavoisier Maia que o engenheiro José Agripino Maia foi indicado prefeito de Natal, em 1979, quando ainda prevaleciam as eleições indiretas.

Agripino entrou para a política como prefeito biônico, e administrou até 1982, quando foi candidato, pela primeira vez, o Governo do Rio Grande do Norte. Disputou com Aluízio Alves, a quem derrotou com uma maioria histórica de 107 mil votos e governou até 1986, quando foi candidato a senador. Renunciou para se candidatar e foi substituído pelo vice Radir Pereira. Em 1987 assumiu uma vaga no Senado pela primeira vez, mas cumpriu o mandato até 1991, disputando mais uma vez o Governo do Estado.

Governou até 1994, quando mais uma vez renunciou ao mandato de governador para ser candidato a senador, abrindo espaço na gestão para assumir o vice, Vivaldo Costa. Em 1995 voltou ao Senado onde exerceu o segundo mandato até 2002, se reelegendo para o terceiro mandato que terminou em 2010, quando se reelegeu de novo, desta vez para o quarto mandato de senador, que será concluído em dezembro próximo.

A vida pública de José Agripino conta com um mandato de prefeito de Natal, dois de governador do Rio Grande do Norte e 4 de Senado. Agora se preparava para assumir uma vaga na Câmara Federal, mas não conseguiu ser eleito. Teve a pior votação de sua história, onde atingiu o ápice em 2010, obtendo uma votação de quase um milhão de votos: 958 mil votos.

Termina o ciclo com 64.678 e nenhum mandato na família, já que o filho deputado federal Felipe Maia não foi candidato.

Fonte:Thaisa Galvão