Cadastro biométrico das pessoas que cumprem pena no Brasil começa em 2019

54

O Ministério da Segurança Pública vai investir R$ 90 milhões de reais para realizar em 2019 o cadastro biométrico dos 726 mil presos do sistema carcerário nacional. Os recursos são do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen), e também serão aplicados para aprimorar a aplicação de penas alternativas e o monitoramento eletrônico no País. Além do cadastro biométrico, a medida também deve permitir a emissão de documentos de identificação aos presos, como carteiras de identidade e CPF.