Projeto de segurança hídrica para o Seridó é tema de audiência pública

230

O Projeto Seridó, plano básico de sistemas adutores objetivando a garantia de suprimento de água para consumo humano e atividades produtivas da Região do Seridó, foi tema de audiência pública na tarde desta segunda feira (09) por proposição dos deputados Vivaldo Costa (PSD) e Francisco do PT.

O projeto consiste na construção de um sistema com sete adutoras totalizando 300km de extensão que vai garantir oferta hídrica humana a toda a população dos 25 municípios da Região do Seridó até o ano 2070.

Ao iniciar o evento, o deputado Vivaldo Costa fez breve exposição histórica sobre o cenário seridoense durante os longos anos de estiagem, lembrou a luta do povo para manter a produtividade local, ressaltou a importância econômica do projeto para a região e cobrou união de todos para viabilizar os recursos.

“O Projeto Seridó é um plano muito bem elaborado com adutoras que interligam os grandes reservatórios como a Barragem Armando Ribeiro Gonçalves e Oiticica. É um projeto que se realmente for concluído vai ser algo de muita alegria para o nosso povo, portanto, temos todos que se unir nesse momento para que dê certo, para que possamos viabilizar os recursos necessários à execução”, Argumentou Vivaldo.

Como ex-prefeito de Parelhas, cidade seridoense que também sofre com as consequências da escassez de água e coordenador da Frente Parlamentar das águas, o deputado Francisco do PT também ressaltou a importância da união política para viabilização dos recursos.

“Esse tema é algo maior que qualquer partidarismo. Precisamos realmente nos unir tendo em vista que mesmo com algumas alternativas como a perfuração de poços e instalação de dessalinizadores nas comunidades, a construção de um cinturão de adutoras na região é algo que vai acabar com a grande dificuldade de desenvolvimento econômico e garantir a sobrevivência das diversas atividades produtivas, ” destacou o Deputado Francisco do PT.

O ex-secretário de recursos hídricos e consultor hídrico, Romulo Macedo, apresentou os aspectos técnicos do projeto e afirmou que o plano é a melhor alternativa para garantia do abastecimento da Região. “O Seridó é uma das regiões com maior concentração de pequenos reservatórios, mas isso não é bom porque facilita a evaporação, portanto, esse modelo não é garantia de oferta, já o Projeto Seridó foi concebido para receber água também da transposição do São Francisco e a um custo que pode variar entre 150 e 200 milhões vai garantir o abastecimento até o ano de 2070, ” explicou Romulo.

O diretor da Agencia Nacional de Águas (ANA), Ricardo Medeiros, explicou o papel da ANA no combate à seca e trouxe uma boa notícia para os seridoenses. “O Projeto Seridó foi incluso no Plano Nacional de Segurança Hídrica, o que vai facilitar em muito a viabilização dos recursos necessários para a execução da obra. O papel da ANA é auxiliar o Estado na política estadual de segurança hídrica. Nesse sentido, a ANA incluiu o projeto no Plano Nacional para que de fato possa ser executado e finalmente poder garantir oferta d´água para a população da região, ” informou o diretor da ANA.

João Maria Cavalcante, Secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado, representou o governo no evento e garantiu apoio ao projeto. “Esse é um dos projetos prioritários do governo. O governo já se reuniu com todas as pastas do setor e decidiu que vai trabalhar para viabilizar projetos para melhorar a oferta d´água em todas as regiões do Estado e com o Projeto Seridó não vai ser diferente, o governo está empenhado em viabilizar os recursos necessários, ” disse o secretário.