SAÚDE: Rio Grande do Norte registra 25 casos suspeitos de influenza este ano

73

O Rio Grande do Norte registrou 25 casos suspeitos de influenza de janeiro a março deste ano. O boletim da Secretaria Estadual de Saúde (Sesap) aponta que dos casos notificados em 2019, dois já foram confirmados, sendo um deles de um residente em São Paulo. Treze casos foram descartados e 10 aguardam resultado laboratorial.

Os casos de influenza costumam aumentar em períodos chuvosas. Por isso, as pessoas precisam ficar atentas à intensidade dos sintomas para saber a hora de procurar o médico.

O infectologista Igor Thiago Queiroz explica que o momento de procurar atendimento é quando a situação está saindo do normal. “É preciso buscar ajuda quando aquela gripe não está ficando boa, está causando muita tosse, falta de ar, febre alta”, destaca.

A Sesap também registrou notificação de casos de coqueluche este ano. Foram 18 casos suspeitos e cinco confirmados por critério clínico.

O que é a Influenza

É uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório, caracterizada por febre alta de início súbito, acompanhado por intensas dores musculares e articulares, dor de cabeça, dor de garganta e coriza.

Os sintomas podem evoluir para falta de ar e outras complicações respiratórias. As pessoas que possuem algum fator de risco para complicações ou alguma imunodeficiência possuem um risco maior e podem apresentar complicações respiratórias associadas à infecção viral.

A gripe é transmitida de pessoa a pessoa, principalmente, ao falar, tossir, espirrar e pelas mãos que transmitem o vírus por contato direto ou contaminando superfície e objetos.

Medidas de Prevenção

  • Lavar frequente as mãos antes de tocar em mucosas (olhos, boca e nariz) e após espirrar;
  •  Usar lenços de papel (descartáveis) para proteger boca e nariz ao espirrar;
  • Usar álcool gel;
  • Indivíduos doentes devem manter repouso;
  • Alimentação balanceada e ingestão de líquidos adequada;
  • Evitar contato com outras pessoas em ambientes fechados e aglomerados;
  • Evitar a exposição de menores de cinco anos ao clima chuvoso;
  • Manter ambientes bem ventilados;

Caso o indivíduo apresente febre, tosse, dor de garganta, falta de ar ou qualquer outro sintoma associado, deve procurar o serviço de saúde para melhor avaliação.