Secretário revela uso de armas restritas em assaltos a bancos no RN

114

O armamento usado pelos suspeitos que agiram em agências bancárias e dos Correios em São José de Mipibu, na Grande Natal, e Marcelino Vieira, na região Oeste do estado, é de uso exclusivo das Forças Armadas. A confirmação foi do secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, coronel Araújo Silva, em entrevista ao Jornal Agora, da 97,9 FM.

Ele lembrou que há 68 dias não tinha ocorrido ação criminosa deste tipo e informou que há uma interação com as Forças Armadas. “Rastreamento e acompanhamento dos explosivos, que é controle das Forças Armadas. E das armas de controle restrito”, disse.

Os ataques aconteceram na madrugada de sexta-feira, 8, onde quatro bancos e uma agência dos Correios foram os alvos.Em Marcelino Vieira, uma agência dos Correios e outra do Bradesco sofreram explosões e o dinheiro nos dois locais foi levado. Além disso, os suspeitos atiraram contra a base da Polícia Militar na cidade.

Já em São José do Mipibu, agências do Bradesco, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal foram o objetivo dos suspeitos. Policiais informaram que três carros foram usados pelo bando.

Pelas ruas do município aconteceu um tiroteio e os envolvidos no roubo também dispararam contra a companhia da PM. Na fuga, para dificultar uma possível perseguição, eles atearam fogo em dois carros e espalharam grampos na estrada.

Araújo Silva esteve no Ceará no Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública para o Nordeste e informou que o local funciona como uma base no combate à criminalidade e violência nos estados que integram a região. Ele não adiantou mais detalhes do trabalho de monitoramento aos suspeitos envolvidos nos dois crimes em cidades do RN.

Comentário de juiz sobre facções

O secretário de Segurança Pública não comentou as declarações do juiz de Execuções Penais de Natal, Henrique Baltazar, a respeito de que a redução no número de mortes durante o carnaval onde ele insinuou em um perfil na rede social que o resultado pode ser oriundo de uma trégua entre facções criminosas.

“Não posso fazer análise política porque minha parte é técnica. Sou graduado em segurança pública em PE e ciências policiais no Chile. Eu estudei polícia. Procuro entender um pouco de polícia”, afirmou o titular do primeiro escalão do governo estadual.

Durante a entrevista, ele argumentou que não iria fazer “considerações a respeito de uma opinião do magistrado que estudou as ciências jurídicas”. “É uma opinião que ele tem e nós temos a nossa dentro da seara das ciências policiais”, declarou.

Verba para compra de aeronave

Com relação a orçamento e investimentos, Araújo Silva disse que há “garantia do empenho de R$ 80 milhões do fundo nacional ao fundo de segurança pública do Rio Grande do Norte” e afirmou que essa verba é para uso na aquisição de veículos, armamento munição, coletes reestruturação no Corpo de Bombeiros, na área de inteligência da segurança pública e no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp).

Ele citou também a “aquisição de uma aeronave no valor R$ 22 milhões”. “Os processos [para tramitação dentro do Governo] já foram iniciados”, informou. O secretário também lembrou do aporte de R$ 40 milhões vindos por meio da bancada federal do estado junto ao orçamento da União.

Quanto ao concurso da Polícia Militar, o secretário disse que está “em andamento” e “tão logo seja concluído” vai pedir a governadora que faça a inclusão dos policiais na Corporação.

Fonte:Jornal Agora/97,9FM