Após nove anos, Governo do Estado reabre a Biblioteca Câmara Cascudo

Após nove anos, Governo do Estado reabre a Biblioteca Câmara Cascudo
Redes Sociais

Um dos mais importantes equipamentos educativos e culturais da história do Rio Grande do Norte retorna para a população potiguar após nove anos.  Administrada pelo Governo do Estado, através da Fundação José Augusto (FJA), a Biblioteca Estadual Câmara Cascudo (BECC), fechada desde 2012, reabre as portas para oferecer serviços nas áreas da educação e cultura.

A solenidade oficial de reabertura será realizada na próxima terça-feira (14/12) a partir das 17h com a presença da governadora Fátima Bezerra, secretários, autoridades e convidados em um evento que terá literatura, teatro e música.

Programação

Na programação haverá participações artísticas do Coletivo Sociedade dos Poetas Vivos e Afins (SPVA), da União Brasileira de Escritores/RN, a performance cênica do ator Rodrigo Bico, o concerto musical do duo Sérgio Farias e Alzeny Nelo, uma cantoria literária dos violeiros potiguares Felipe e Helânio e uma apresentação do Coral Canto do Povo.

Na oportunidade também será inaugurado o auditório Zila Mamede em homenagem a primeira diretora da biblioteca. Na galeria de artes da Biblioteca será aberta a mostra “Naifs da Pinacoteca”, coletiva com obra dos artistas visuais Iaperi Araújo, Fé Córdula, Djalma Paixão, Ivanice, Nivaldo e Arruda Sales, entre outros.

Para a reabertura da BECC estarão expostos um total de cem livros premiados no Edital Aquisição de Publicações de Livros, Revistas e Reportagens Culturais da Lei Aldir Blanc RN.

Equipamentos

A biblioteca integra um conjunto de obras de reforma e restauro de nove equipamentos culturais do Rio Grande do Norte concluídas na gestão da professora Fátima Bezerra, totalizando investimentos na ordem de R$ 32 milhões, via Governo Cidadão, através do acordo de empréstimo com o Banco Mundial.

Além da BECC estão concluídos o Papódromo João Paulo II, a Escola de Dança do Teatro Alberto Maranhão (EDTAM), a Pinacoteca do Estado, o Teatro Alberto Maranhão (TAM), a Fortaleza dos Reis Magos, o Memorial Câmara Cascudo, além das reformas dos teatros Adjuto Dias (Caicó) e Lauro Monte Filho (Mossoró).

Investimento

Equipamento de alta relevância cultural e educacional, a biblioteca já havia passado por uma reforma estrutural no governo anterior, mas sem as atuais obras complementares não houve como colocá-la em operação. Os serviços foram necessários para dar condições de funcionamento com a implementação da climatização, da acessibilidade e aparelhagem de prevenção e combate a incêndio, além de uma subestação de energia. O investimento total da obra foi de R$ 2,5 milhões com recursos do Governo Cidadão/Banco Mundial, Secretária Estadual de Turismo (SETUR) e do Ministério do Turismo (MTur).

Com um acervo estimado em cerca de cem mil títulos, entre livros, revistas e publicações, além de vídeos, CDs, fitas VHS e uma hemeroteca direcionados para as áreas de literatura, romance, poesia, história, sociologia, geografia e biografia, o equipamento retorna repaginado e integrado às novas tecnologias.

Um cenário bem diferente das décadas passadas quando os usuários dispunham apenas do antigo sistema tradicional de manuseio e empréstimo das obras. Estudantes e pesquisadores irão dispor agora de acesso a consultas digitais e uma rede de internet para consultas.

Para o Diretor Geral da FJA, Crispiniano Neto “A chave da porta que leva o conhecimento é a leitura. A BECC e a cabeça das redes das bibliotecas municipais do Estado e um ponto fundamental para se estimular o hábito da leitura. Ela estava fechada desde 2012 por problemas estruturais, passou por uma longa e interrompida reforma, cujos problemas foram destravados na gestão da professora Fátima Bezerra. Agora entregamos o equipamento para a população exercer o seu direito ao livro e à leitura”.

“A biblioteca desempenha importante papel como espaço público e ponto de encontro. Seu uso para pesquisa, ensino e lazer aproxima as pessoas graças a contatos informais, proporcionando uma experiência social positiva. A nova Câmara Cascudo, além de reunir todos esses atributos, é um ambiente de inspiração, de surpresas e empoderamento”, destaca Ailton Medeiros, Coordenador do Livro, Leitura e Biblioteca da Fundação José Augusto.

 Espaços

A BECC se reapresenta com uma estrutura física redefinida em seu espaço físico. No térreo do prédio estão localizadas a recepção, café e a área destinada para armários e guarda volumes para visitantes e usuários. Também abriga o acervo de obras literárias editadas pela FJA, além da Brinquedoteca com livros, mesas cadeiras para atividades lúdicas como contação de histórias.

No primeiro pavimento estão a Galeria de arte, sala de leitura, sala de vídeo e edição, a sala de coleções especiais, a sala da literatura potiguar que dispõem de computadores destinados à pesquisa.

Por fim, no segundo pavimento se localizam a administração do equipamento, uma sala de referência e o auditório Zila Mamede com capacidade para 30 pessoas.

História

Criada em 8 de abril de 1963 junto à Fundação José Augusto (FJA), foi inaugurada em 1969 sob a gestão de Zila Mamede na Fundação. Em 1970, foi doado o prédio que sediou a Biblioteca, na Rua Potengi, em Petrópolis.

Seu acervo conta com mais de 100 mil exemplares entre livros, revistas, jornais, DVDs, fitas VHS e cassete, CDs e uma hemeroteca com recortes de cerca de 200 assuntos. Os arquivos estão armazenados no prédio da Cidade da Criança, à espera de serem realocados ao seu local de origem.

Fechada desde 2012, teve seu projeto de reestruturação retomado em agosto de 2017, por meio dos recursos do Governo Cidadão, após complicações no contrato das obras anteriores.

SERVIÇO:

O QUE: Reabertura da Biblioteca Estadual Câmara Cascudo

QUANDO: terça-feira (13/12), 17h.

ONDE: Rua Potengi, 535, Petrópolis, Natal


Redes Sociais

djaildo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.