Campanha opõe Lula na TV e Bolsonaro nas redes sociais

Redes Sociais


O começo da campanha eleitoral mostrou que a disputa presidencial de 2022 deve opor a habilidade do presidente Jair Bolsonaro  (PL) nas redes sociais ao talento do petista Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em se expressar na televisão. A vitória nas urnas pode ser do candidato que conseguir combinar melhor o efeito de sua campanha nas duas plataformas. É o que pensam especialistas ouvidos pelo Estadão.

”Lula sabe usar a TV e Bolsonaro as redes sociais. Essa deve ser a tônica da campanha”, afirmou o cientista político Antonio Lavareda, diretor do Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe). Segundo ele, o que deve marcar a campanha é a convergência de plataformas. “A TV hoje não é a TV isolada do passado. Ela vai para o YouTube, para as redes sociais e circula no rádio. É o efeito combinado dessa convergência que vai determinar o impacto de cada campanha.

”O mesmo vale para a popularidade digital. Lavareda lembrou que Joe Biden tinha 10% do total de seguidores em redes sociais que Donald Trump e, mesmo assim, o venceu a eleição nos EUA, em 2020. ”É preciso conexão da campanha do candidato com a conjuntura do noticiário para ela não ficar sem sentido.” Para Lavareda, será difícil medir se o eleitor viu a mensagem na TV ou nas redes sociais e qual plataforma provocou o efeito.

Esse impacto combinado da televisão com as redes sociais pode ser sentido na quantidade de pesquisas com os nomes dos candidatos em buscadores, como o Google, no dia da sabatina no Jornal Nacional, da TV Globo. Na comparação entre o dia 22, quando deu a entrevista, com a segunda-feira anterior, Bolsonaro viu as pesquisas por seu nome registrarem alta de 520%. O mesmo foi observado com Ciro (650% na terça-feira) e Lula (480% na quinta-feira), em comparação com o mesmo dia da semana anterior. Os dados são do Google Trends.

Para o cientista político Rodrigo Prando, professor do Mackenzie, Bolsonaro leva vantagem nas redes sociais sobre Lula porque sua equipe tem um repertório maior de edição e produção de conteúdo do que a do petista. Além disso, a construção do bolsonarismo nas redes precede as eleições de 2018 e, portanto, há uma tradição nesse campo. “Bolsonaro tem um desempenho melhor nas redes, mas muita dificuldade nos ambientes que não são controlados, ao contrário do Lula.”

Durante a semana, o desempenho de Lula na TV ficou evidente na sabatina JN, em comparação com Bolsonaro. Restou ao presidente usar as redes sociais para tentar diminuir o impacto da comparação entre os dois, acusando a TV Globo de ter sido benevolente com Lula. E isso apesar de Bolsonaro ter atraído audiência maior do que a do oponente. O JN registrou 33 pontos de média no Kantar Ibope na entrevista de Bolsonaro ante 31,4 de Lula e 29 de Ciro. O melhor desempenho de Lula pode ser medido pelas menções aos candidatos nas redes sociais no dia das sabatinas. Lula obteve 836,7 mil menções no Twitter na quinta-feira, Bolsonaro alcançou 677,3 mil na segunda e Ciro, 229,6 mil na terça.

MSN-ESTADÃO


Redes Sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.