Dia Nacional do Diabetes traz alerta também sobre impacto na saúde urinária e sexual

Dia Nacional do Diabetes traz alerta também sobre impacto na saúde urinária e sexual
Redes Sociais

UROLOGISTA MARYO KEMPES. FOTO-DIVULGAÇÃO

O calendário de saúde marca para o próximo 26 de junho o Dia Nacional do Diabetes, data criada em parceria entre o Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde (OMS) para conscientizar os brasileiros sobre a doença que afeta 9% da população do país, segundo dados do próprio MS. Além dos problemas mais comuns ligados ao diabetes, como os que atingem olhos, rins e a corrente sanguínea, há outros não tão conhecidos relacionados à saúde urológica. Entre os impactos mais comuns da doença, estão as infecções do trato urinário (ITUs), problemas de bexiga e disfunção sexual.

Segundo o urologista Maryo Kempes, o diabetes pode afetar o bom funcionamento do trato urinário e genital, ocasionando problemas como infecções de repetição, insuficiência renal, bexiga neurogênica, e até a disfunção sexual (impotência). Tanto a disfunção sexual masculina quanto a feminina podem ser afetadas, pois a doença compromete a função neuro-sensorial, bem como o fluxo sanguíneo para a área genital. “As pessoas precisam estar atentas, em razão da doença por um bom período ser silenciosa e não apresentar sintomas evidentes. Por isso é necessário fazer exames regulares”, recomenda o médico.

Para proteger a saúde do diabetes, Maryo Kempes sugere a adoção de práticas saudáveis. Dentre elas, ele lista bons hábitos alimentares, controle do peso, sono regular e exclusão do fumo.

O Brasil é o 5º país em incidência de diabetes no mundo, com 16,8 milhões de doentes adultos (20 a 79 anos), perdendo apenas para China, Índia, Estados Unidos e Paquistão. A estimativa da incidência da doença em 2030 chega a 21,5 milhões. Esses dados estão no Atlas do Diabetes da Federação Internacional de Diabetes (IDF).

Sobre a diabetes
Diabetes é uma doença crônica que eleva os níveis de glicose (açúcar) no sangue. Quando o diabético consome um alimento, ele é processado pelo organismo e a glicose proveniente da comida entra na corrente sanguínea. As células do seu corpo precisam desse açúcar como energia, mas um hormônio chamado insulina deve estar presente para que a glicose entre nas células. O pâncreas, uma grande glândula que fica atrás do estômago, é responsável por produzir a insulina.

Em pessoas sem diabetes, o pâncreas produz a quantidade certa de insulina para transportar o açúcar do sangue para as células. Mas, em pessoas com diabetes tipo 1, o corpo não produz insulina. Em pessoas com diabetes tipo 2, o corpo não faz ou não usa a insulina da maneira certa. Isso é chamado resistência à insulina. Sem insulina suficiente, a glicose permanece no sangue, e isso pode prejudicar seus rins, olhos e outros órgãos.


Redes Sociais

djaildo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.