Entenda como funciona o quociente eleitoral e partidário nas Eleições 2020

0
728

O fim das coligações proporcionais que será experimentado na eleição deste ano, está fazendo muitos políticos repensarem suas estratégias eleitorais e partidárias. Qual a melhor escolha: concorrer em um partido pequeno, em grande legenda partidária, em partido com candidato puxador de votos ou sem correligionário de mandato? Todas essas indagações passam por um mesmo ponto: quociente eleitoral.

Então, para se tomar uma decisão com convicção nada mais importante do que saber o que é o quociente eleitoral, como ele será calculado nas próximas eleições, e qual sua importância na disputa por uma cadeira na câmara municipal.

Quociente eleitoral é um método pelo qual, se distribuem as cadeiras nas eleições pelo sistema proporcional de votos em conjunto com o quociente partidário e a distribuição das sobras. Chega-se ao quociente eleitoral, dividindo o total de votos válidos para vereador, pelo número de vagas em disputa.

Nas Eleições 2020, conquistará uma cadeira no parlamento municipal o partido que tenha atingido o quociente eleitoral necessário, bem como seu candidato tenha recebido pelo menos 10% do quociente eleitoral.(A clausula de Barreira). Havendo sobras, todos os partidos disputam as cadeiras restantes, independentemente de ter feito ou não o quociente eleitoral. A nova regra tem a finalidade de evitar que candidatos com votações muito baixas sejam eleitos pelos puxadores de votos. Vamos exemplificar.

Cálculo do quociente eleitoral (QE)

O quociente eleitoral é calculado pela divisão do número de votos válidos para vereador, pelo número de vagas que vão ser preenchidas na Câmara Municipal.

Por exemplo: em uma cidade foram apurados 3.000 votos para vereador, e existem 10 vagas a serem ocupadas na Câmara Municipal. Fazendo a conta: 3.000 votos ÷ 10 vagas = 300, ou seja, o quociente eleitoral é 300 votos.

Quociente partidário (QP)

Para saber quantas vagas serão ocupadas por cada partido, calcula-se o quociente partidário. O quociente partidário é o número de votos recebidos pelo partido, dividido pelo quociente eleitoral,(300 votos).

Seguindo o mesmo exemplo: se um partido recebeu 900 votos para vereador, o cálculo é: 900 votos ÷ 300 (QE) = 3. Assim, o partido terá direito a 3 vagas que serão ocupadas pelos 3 candidatos mais votados do partido.

Cláusula de barreira ou cláusula de desempenho.

A partir da reforma eleitoral, além do cálculo dos quocientes, passou a existir mais um item que precisa ser verificado para o preenchimento das vagas: a cláusula de barreira

Pela nova regra só serão considerados eleitos os candidatos que tiverem um número de votos que seja igual ou superior a 10% do valor do quociente eleitoral (QE).

No caso do exemplo acima: se o quociente eleitoral é 300, para ser eleito o candidato precisa ter no mínimo 30 votos (10% do QE).

Assim, pela lógica, não adianta apenas o partido político ter um candidato puxador de votos, tem que investir nos demais candidatos para que não tenham uma votação pífia que os impossibilitem de disputar uma vaga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui