Estudantes de todo o país farão protesto contra cortes na educação nesta terça (18); Natal também terá mobilização

Redes Sociais


Está programada para esta terça (18) uma série de protestos articulados para ocorrer simultaneamente em todo o país. Durante as manifestações, estudantes da rede pública de ensino querem denunciar os cortes e bloqueios realizados no orçamento da Educação pelo governo do atual presidente Jair Bolsonaro (PL). Em Natal, o protesto vai acontecer a partir das 15h e o ponto de encontro será a calçada do Shopping Midway Mall, na Zona Sul da capital.

IFRN

O mais recente “bloqueio” do governo federal no orçamento das instituições federais de ensino foi anunciado no dia 5 de outubro. No caso do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), a perda será de mais de dois milhões de reais (R$ 2.291.735,49). O valor é o equivalente a quase um ano de funcionamento da segunda maior unidade no estado, o Campus Mossoró, onde 2.072 alunos estudam atualmente.

Em junho deste ano o IFRN já havia sofrido um corte de R$ 6.474.295,00, quase o orçamento anual de funcionamento do Campus Natal-Central, a maior unidade com 6.343 estudantes matriculados.

Em 2022, o IFRN já perdeu R$ 8.766.030,49 em seu orçamento o equivalente a 9,74% do que estava previsto no início do ano, que era de R$ 90.015.674,00. O valor é utilizado para o funcionamento e manutenção dos 22 campi, para o atendimento estudantil e viabilização das ações de ensino, pesquisa e extensão.

UFRN

Já o caso da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) é ainda mais complicado porque a instituição, que já havia começado 2022 com R$ 23.972.313,00 a menos no orçamento, sofreu novo bloqueio, agora, de R$ 8,8 milhões.

Ao todo, já são quase R$ 44 milhões a menos em 2022 para a universidade federal. A instituição já havia perdido R$ 12 milhões, aproximadamente, depois de um corte na metade de um outro valor bloqueado pelo Ministério da Educação (Mec) entre maio e junho deste ano. Esse bloqueio do meio do ano, assim como o atual, previa a possibilidade de devolução do dinheiro às universidades para a execução de suas atividades e compromissos financeiros. Porém, dos 14% aprisionados pelo governo federal de Bolsonaro (PL) da UFRN, apenas 7,2% foi devolvido, o equivalente a quase R$ 12 milhões. A universidade está entre as 30 melhores da América Latina.

UFERSA

No RN, apenas a reitora da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), Ludimilla Oliveira, garantiu que o bloqueio do Mec não afetará a instituição. Em maio deste ano, a Ufersa já havia sofrido um bloqueio de 14,5% de seu orçamento, o que representava pouco mais de R$ 7,011 milhões.

De acordo com a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), serão contingenciados, no âmbito de todo o Ministério da Educação e Cultura (MEC), o valor de R$ 2.399 bilhões (R$ 1.340 bilhão anunciado entre julho e agosto e R$ 1.059 bilhão agora).

AGÊNCIA SAIBA MAIS


Redes Sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *