Novo estudo mostra que risco para Alzheimer aumenta em 69% entre idosos que tiveram Covid-19

Redes Sociais


Uma série de estudos buscam entender os impactos a longo prazo da Covid-19, que em quase três anos de pandemia provocou mais de 600 milhões de infecções pelo mundo.

Um deles, de pesquisadores da Universidade Case Western Reserve, nos Estados Unidos, decidiu avaliar a incidência da doença de Alzheimer em um grupo de idosos contaminado pelo novo coronavírus, e comparar os números com outro grupo semelhante que não teve contato com o vírus.

Os resultados, publicados ontem na revista científica Journal of Alzheimer’s Disease, mostram que a Covid-19 eleva em 69% o risco para a forma de demência entre aqueles acima de 65 anos.

Os responsáveis pelo trabalho avaliaram esse aumento do risco por faixa etária e pelo gênero, e descobriram que o impacto é ainda mais significativo entre mulheres com mais de 85 anos.

No geral, o risco foi 59% maior para todos entre 65 e 74 anos; 69% maior entre 75 e 84, e 89% maior para os acima dos 85 anos. Porém, para homens, a média foi de 50%, enquanto para as mulheres essa taxa foi de 82%.

“A Covid e as consequências a longo prazo dela ainda estão surgindo. É importante continuar monitorando o impacto desta doença em futuras incapacidades”.

Fonte: Globo


Redes Sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.