Pedidos de pensão por morte do INSS disparam com casos de Covid-19

Pedidos de pensão por morte do INSS disparam com casos de Covid-19
Redes Sociais

O Brasil ultrapassou a marca de  450 mil vítimas da covid-19 . Neste cenário, há homens e mulheres de diferentes idades. Alguns que estavam aposentados , outros que trabalhavam registrados, ou que contribuíam para a Previdência Social na qualidade de autônomo, e alguns, também que exerciam suas atividades profissionais de maneira informal. Nessa estatística, se encontram ainda as donas de casa e os estudantes, e que ainda que pudessem contribuir para a previdência, de forma facultativa, nem sempre faziam.

Desta parcela da população, herdeiros de um cenário trágico da pandemia, há os que garantiram aos dependentes de vários destes segurados da Previdência Social, o direito ao recebimento do benefício de pensão por morte , desde que cumprido os requisitos presentes em lei. Assim, observa-se, que a grande quantidade de óbitos gerados pela pandemia trouxe também um aumento no número de requerimentos da pensão por morte.

De acordo com os dados do Instituto Nacional de Seguridade Social , em 2018 foram concedidas 373.015 pensões, em 2019 foram 428.512 e em 2020 foram 416.341 pensões por morte concedidas. Embora os números de 2020 sejam menores, houve um aumento considerável a partir de agosto de 2020, quando o país contava com aproximadamente 100 mil mortes. Mas insta salientar que as concessões, em regra, são finalizadas meses após o requerimento do pedido. Portanto, estes pedidos foram realizados alguns meses anteriores a agosto, para que o volume fosse cada vez mais frequente.


Redes Sociais

djaildo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *