Pelo menos 12 agentes de segurança pública foram mortos no RN em 2019

0
131

A morte do Coronel Nunes, na tarde do sábado (28), foi o 12º óbito violento de um agente de segurança pública do Rio Grande do Norte neste ano. Em 2018, pelo menos 26 agentes de segurança morreram no estado. Os primeiros casos ocorreram em janeiro, quando o PM reformado Rafael Andrade da Silva foi morto em um bar de Natal no dia 12 de janeiro, e o PM da reserva Cícero Melo Geminiano, de 55 anos, que foi executado com com três tiros em uma lanchonete de Mossoró.

Em fevereiro, mais duas mortes: o sargento do Corpo de Bombeiros Ivan Ferreira da Silva, morto a tiros no dia 25 em um bar em Genipabu, e o PM da reserva Luciano de Aquino Ramos, de 43 anos, executado dia 26, próximo ao viaduto do Baldo, em Natal. Em março, o sargento aposentado da PM Genival Quirino de Oliveira Júnior, de 54 anos, foi morto ao tentar evitar um assalto na Cidade da Esperança, no dia 26.

Em abril, foram mortos o sargento da PM Gilmar Ferreira Barbosa, de 52 anos, no dia 9, no Bom Pastor, e o agente da Polícia Civil André Severiano da Silva, de 45 anos, executado em assalto no dia 30 de abril, próximo ao viaduto de Emaús.

O cabo da reserva da PM João Maria Batista de Souza, de 55 anos, foi mais um agente de segurança morto no estado. No dia 31 de maio, ele foi executado em um assalto em Parnamirim. Já em julho, no dia 19, o suboficial da reserva da PM Adonilson Ferreira de Oliveira, de 76 anos, foi morto no bairro do Alecrim. Em setembro, o sargento da PM Adailton Cristiano Silva, de 43 anos, foi a vítima. Ele foi atingido por disparos durante um assalto em Vera Cruz, no dia 20 de setembro.

No dia 20 de dezembro, o escrivão da Polícia Civil Antônio Ferreira da Silva Júnior reagiu a um assalto e foi morto em Mossoró. Já no dia 28, a vítima foi Francildo de Souza Nunes, coronel aposentado que estava em uma loja no centro de Natal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui