SETHAS inicia aplicação de questionários do Censo da População em Situação de Rua no RN

SETHAS inicia aplicação de questionários do Censo da População em Situação de Rua no RN
Redes Sociais

O Censo Estadual da População em Situação de Rua, do Governo do Estado e executado pela SETHAS, inicia hoje (29/11) e amanhã (30/11), a fase de aplicação em campo dos questionários da pesquisa no município de São Gonçalo do Amarante, Região Metropolitana de Natal.A fase de aplicação do questionário da pesquisa “Promoção dos Direitos da População em Situação de Rua no RN: Diagnóstico e Intervenção nos Caminhos de Inovação no Sistema Único de Assistência Social (SUAS) vai continuar nesta quarta-feira (1º/12) em Macaíba.Neste momento da pesquisa, ressalta a coordenadora Geral e Orientadora da Pesquisa, Edivânia Lima, que também é coordenadora de Estudos e Projetos COEP/SETHAS, é importante a participação de representantes dos municípios no processo de prestação de  informações sobre a localização dos pontos de concentração de pessoas em situação de rua.A pesquisa conta com três modelos de questionário: o básico, aplicado a todas as pessoas em situação de rua; o da amostra, aplicado a uma a cada dez pessoas; e o das famílias, aplicado a pessoas responsáveis por menores de idade também em situação de rua.No dia 26/10/2021, a SETHAS fez o pré-teste de aplicação dos questionários no município de Macaíba em parceira com o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) e Abordagem Social do município. PesquisaO Censo da População em Situação de Rua é realizado pela SETHAS  em parceria com a Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Norte (FAPERN) e o Instituto de Educação Superior Presidente Kennedy – Centro de Formação de Profissionais de Educação (IFESP).A pesquisa, complementa Edvânia Lima, faz parte do compromisso social  do Governo do Estado para efetuar um diagnóstico sobre a população em situação de rua para aperfeiçoar a gestão de programas e projetos do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) no Rio Grande do Norte.Todo o levantamento feito pela equipe de pesquisadores também vai gerar a produção de conhecimento e fortalecer os direitos socioassistenciais voltados para o público-alvo em questão. “As ações da pesquisa são de natureza investigativa e interventiva”, assinala a coordenadora.O projeto tem duração de doze meses a partir da assinatura do termo de cooperação e a previsão é finalizar em agosto de 2022. A estimativa é que o relatório parcial seja divulgado em janeiro do ano que vem.


Redes Sociais

djaildo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.