UFRN: Mais de 400 se voluntariam para ajudar municípios com vacinação

UFRN: Mais de 400 se voluntariam para ajudar municípios com vacinação
Redes Sociais

“Foi muito além do que imaginávamos”. Com essa frase, o pró-reitor adjunto de Extensão da UFRN, Edvaldo Vasconcelos, classifica o resultado da primeira ação do projeto de extensão Vacina é Vida, que está montando equipes de voluntários para ajudar os municípios com a vacinação da covid-19. Em uma semana, 426 pessoas se cadastraram para apoiar as equipes de saúde dos primeiros municípios a se cadastrar na iniciativa: Natal (91), Parnamirim (161), Currais Novos (85) e Caicó (59). Outras 30 pessoas se inscreveram para outros municípios, mas só começarão quando as prefeituras manifestarem interesse na parceria. Por enquanto, as inscrições para voluntários estão abertas apenas para o município de Santa Cruz e podem ser feitas neste link.

Na próxima semana, a coordenação do projeto vai se reunir com instituições e secretarias municipais para apresentar os voluntários e ajudar na organização das equipes. Começam a trabalhar primeiro os que estão vacinados. Aqueles que ainda não tenham sido imunizados precisam ser priorizados pelas prefeituras, recebendo a vacina, uma vez que estarão na linha de frente da luta contra o coronavírus. Cabe aos municípios indicar os responsáveis pela recepção e orientação dos voluntários, além de fornecer os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados.

Coordenado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e pelo Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), o Vacina é Vida quer dar condições para os municípios agilizarem suas ações vacinais conforme disponibilidade de vacina. A ideia é também reduzir a pressão sobre os profissionais de saúde que, desde a decretação da pandemia, estão trabalhando no limite de suas cargas horárias.

Os voluntários serão divididos em dois grupos. As pessoas sem formação na área da saúde irão atuar nas atividades burocráticas, que inclui o preenchimento de cadastros, anotações na carteira de vacinação, organização de filas e outras funções. Os voluntários da área da saúde poderão atuar na vacinação direta da população, caso seja necessário no município.

Para atuar como preceptor vacinador, é necessário ter nível superior em Enfermagem ou Medicina, com conselho de classe ativo (Coren ou CRM do Rio Grande do Norte). Os vacinadores podem ser profissionais com registro ou acadêmicos de Enfermagem, de Medicina ou técnicos em enfermagem que possuam habilidades técnicas para realização da vacina. Para participar do projeto Vacina é Vida, é necessária a realização do curso gratuito Covid-19: capacitação para vacinadores.


Redes Sociais

djaildo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *