Volta de Lula à corrida eleitoral já “balança” o Centrão

Volta de Lula à corrida eleitoral já “balança” o Centrão
Redes Sociais

Partidos do Centrão, bloco informal de centro e direita conhecido por se aliar a diferentes gestões presidenciais, ainda não definiram quem apoiarão na eleição presidencial de 2022 e nem se tomarão uma posição unificada como fizeram em pleitos anteriores.

O futuro eleitoral dessas legendas ficou ainda mais nebuloso com a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin de anular as condenações doex-presidente Lula (PT) na Lava Jato no Paraná. A anulação permitiu a volta do petista ao cenário político e, com a possibilidade de ser candidato em 2022, deixou o pleito concentrado entre Jair Bolsonaro e o PT.

O núcleo duro do Centrão é formado por PP, PL, PSD, Solidariedade e Republicanos. O apoio a Bolsonaro no Congresso está mantido, mesmo porque o governo tem atendido às demandas do grupo. Mas nem todos os partidos estão dispostos a acompanhá-lo na eleição de 2022.

O primeiro partido a indicar que não pretende acompanhar Bolsonaro no projeto de reeleição é o Solidariedade, presidido pelo deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força. Ao Congresso em Foco, o presidente da sigla disse ser “impossível” apoiarem novo mandato do atual presidente.

O Solidariedade esteve nas duas últimas eleições aliado ao PSDB, com Aécio Neves em 2014 e Geraldo Alckmin no primeiro turno em 2018. O partido ficou neutro no segundo turno de 2018, mas o apoio de Paulinho da Força foi a Fernando Haddad (PT).

O presidente do Solidariedade considera difícil que o apoio ao PSDB vá se repetir no ano que vem. Sobre apoiar Lula, ele disse: “Embora esteja muito cedo, acho que sim”

O PT tem buscado diálogo fora da esquerda. No final de fevereiro, a presidente do partido, Gleise Hoffmann, e Haddad foram a Minas Gerais. Uma das agendas foi uma reunião com o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, do PSD.

Em entrevista ao Congresso em Foco no dia 12 de fevereiro, Haddad afirmou que o PT precisa buscar setores da direita para vencer Bolsonaro.

Veja mais aqui.


Redes Sociais

djaildo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *