Estudo aponta 1 morte e 131 infectados por esporotricose no RN

Uma pessoa morreu e pelo menos outras 131 já foram infectadas pela esporotricose – doença emergente provocada por fungos e transmitida por gatos – no Rio Grande do Norte desde 2016. Isso é o que indica um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Eles estão preocupados com o crescimento no número de pacientes e animais atingidos no estado.

Essa micose chegou em solo potiguar há cerca de cinco anos. Hoje, os pesquisadores alertam que o fungo, do gênero Sporothrix, tem se espalhado muito rápido por Natal e região metropolitana, principalmente Parnamirim, Extremoz e São Gonçalo. A doença também já foi encontrada em Santo Antônio.

A única morte no estado foi registrada em uma artesã de Parnamirim no ano de 2016. Ela contraiu a forma mais grave da doença, a pulmonar e, devido demora no diagnóstico, não resistiu. A probabilidade de óbito em humanos, no entanto, é baixa. Já nos animais, a esporotricose geralmente evolui para a morte, principalmente com a demora no início do tratamento.

Morte por meningococcemia é confirmada em Pau dos Ferros

A Secretaria de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap) confirmou na tarde desta sexta-feira (24) a morte de uma mulher por meningococcemia no Hospital Regional de Pau dos Ferros, município localizado no Oeste potiguar.

A paciente foi identificada como Renata Kelly de Souza Dutra. Inicialmente, foi declarado que o óbito havia sido causado por uma picada de escorpião, segundo a secretaria. No entanto, o laudo esclareceu a causa da morte.

Renata apresentou febre e bolhas pelo corpo antes de falecer.

Meningococcemia

A meningococcemia é ocasionada por uma bactéria que também causa meningite. Ambas são denominadas doenças meningocócicas. As informações são da Sociedade Brasileira de Imunizações.

Enquanto a meningite é a inflamação das meninges no cérebro, a meningococcemia é a infecção generalizada. O contágio se dá por via respiratória e, se o paciente for tratado precocemente, o resultado pode ser positivo. Porém, a doença costuma evoluir muito rapidamente, podendo levar à morte.

Fonte: Porta Agora RN

Ministério da Saúde afirma que está em alerta inicial para coronavírus no Brasil

O Ministério da Saúde afirmou, nesta quinta-feira (23), que está em alerta para o risco de transmissão do coronavírus no Brasil. De acordo com a pasta, o nível de alerta é 1 (inicial), em uma escala que vai de 1 a 3. O nível mais elevado é ativado quando são confirmados casos transmitidos em solo nacional. Julio Henrique Rosa Croda, secretário substituto de Vigilância em Saúde, afirmou ainda que cinco casos suspeitos da doença no Brasil foram descartados.

O coronavírus já matou 17 pessoas e infectou mais de 500 em nove países. Além da China, há registros de casos nos Estados Unidos, Japão, Tailândia, Taiwan, Coreia do Sul, Vietnã, de Singapura e a Arábia Saudita. Três cidades chinesas adotaram medidas de quarentena para tentar frear a epidemia. Na China, segundo Croda, a transmissão foi registrada entre familiares e profissionais de saúde, comportamento semelhante a outros vírus da família coronavírus.

Cientistas criam tecnologia que identifica infecção urinária com uso de smartphone

Semelhante a um teste de gravidez e com duração de 25 minutos, um novo diagnóstico de bactérias causadoras da infecção urinária está sendo desenvolvida por cientistas da Universidade de Bath, na Inglaterra. Para identificação da patologia, o infectado usará a câmera de um smartphone.

De acordo com o portal Techtudo, a nova tecnologia traz redução de custos para o médico e rapidez no diagnóstico para o paciente. Atualmente, os exames de detecção de infecções no trato urinário demoram dias para se chegar em um resultado. Com isso, é esperado que países subdesenvolvidos e áreas de difícil acesso sejam beneficiados com a novidade.

Para realização do teste, além do uso do smartphone, são utilizados uma tira plástica contendo anticorpos – local onde vai ser aplicada a amostra de urina – e uma enzima, que será aplicada na tira. É com o uso conjunto do material plástico e da substância que muda as bactérias de cor, que a câmera do celular consegue detectar a presença destes micro-organismos.

Com sua eficácia comprovada, no entanto, o novo método de diagnóstico deve ser validado por órgãos competentes. O grande entrave entre os cientistas, nesse sentido, será o de convencer esses órgãos sobre o método, já que tais grupos validadores defendem os potencial dos laboratórios e resistem em aceitar diagnósticos com smartphones.

Ministério da Saúde diz que 11 estados poderão ter surto de dengue em 2020

Os estados do Nordeste, assim como Espírito Santo e Rio de Janeiro, poderão ter um surto de dengue a partir de março de 2020, afirma o Ministério da Saúde. “A dengue é uma doença sazonal e o quadro é dinâmico e pode mudar em pouco tempo, mas, no momento, os nove estados do Nordeste e as regiões do Sudeste com grande contingente populacional pouco afetadas em 2019 estão no nosso alerta”, afirmou o porta-voz do Ministério da Saúde, Roberto Said.

O Brasil registrou 1.544.987 casos de dengue no ano passado, com 782 mortes, segundo dados da pasta, um aumento de 488% em relação a 2018, um ano considerado atípico pelo Ministério. A dengue é transmitida por quatro sorotipos do vírus: o sorotipo 1, 2, 3 e 4, todos em circulação no Brasil. A intensidade de circulação desses sorotipos se alterna pelo país de tempos em tempos. Os surtos de dengue costumam ocorrer, segundo Said, quando há mudança na circulação do tipo de vírus.

RN recebe 16 mil doses da pentavalente

A Secretaria de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap-RN) recebeu na segunda-feira, 13, o total de 16 mil doses da vacina pentavalente. Por ser uma quantidade insuficiente para suprir a demanda, um novo esquema vacinal será implantado no Estado.

Alessandra Lucchesi, subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesap, afirmou que a distribuição das doses deve ser concluída até a próxima segunda-feira, 20. A quantidade, no entanto, é insuficiente para suprir a demanda estadual.

Em virtude da insuficiência, o Ministério da Saúde orientou que um novo esquema vacinal seja implantado, diante da descontinuidade do abastecimento da pentavalente.

O novo esquema será feito com doses da vacina DTP junto à vacina contra Hepatite B para crianças aos 2, 4 e 6 meses, e a pentavalente será ministrada aos 15 meses e aos quatro anos de idade.

Ministério da Saúde garante mais R$ 120 milhões para compra de medicamentos no SUS

Municípios com menores índices de desenvolvimento humano terão maior volume de recursos para compra de medicamentos e insumos oferecidos na Atenção Primária do SUS, o Sistema Único de Saúde. Com esse ajuste no valor, haverá um aumento de aproximadamente R$ 98 milhões de reais  por ano do Governo Federal.

Estados e municípios vão  repassar R$ 11 milhões e 200 mil  reais a mais, cada, em função da atualização da população. Com isso, os municípios vão contar com um total de R$ 120 milhões de rais a mais por ano. A mudança proposta pelo Ministério da Saúde e pactuada com Estados, Municípios e Distrito Federal foi publicada em dezembro de 2019.

O valor para o repasse, por meio do Componente Básico da Assistência Farmacêutica, da parte que compete à União, foi redefinido de acordo com o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal. Agora, o recurso passa a variar entre R$ 5 reais e 85 centavos e R$ 6 reais e 5 centavos por pessoa/ano, a depender do grupo de desenvolvimento humano a que o município pertence.

Combate ao Aedes aegypti deve ser prioridade no verão, diz Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde convoca a população brasileira a continuar, de forma permanente, com a mobilização nacional pelo combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.

A transmissão dessas doenças pelo mosquito Aedes aegypti pode gerar outras enfermidades, como microcefalia e Guillain-Barré, doença autoimune em que o sistema imunológico do próprio corpo ataca parte do sistema nervoso, que são os nervos que conectam o cérebro com outras partes do corpo. O período do verão é o mais propício à proliferação do mosquito, por causa das chuvas, e consequentemente é a época de maior risco de infecção por essas doenças.

Por isso o Ministério da Saúde reitera a recomendação para a população brasileira de  não se descuidar nenhum dia do ano e manter todas as ações possíveis para prevenir focos em qualquer época do ano. A população deve ficar atenta e redobrar os cuidados para eliminar possíveis criadouros do mosquito.  O Ministério da Saúde disponibiliza  toda a orientação para o combate ao mosquito na internet no site www.saude.gov.br

Começa pesquisa para saber como anda a saúde dos brasileiros

A pesquisa Vigitel 2020 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), realizada todos os anos pelo Ministério da Saúde, pretende ouvir cerca de 27 mil pessoas somente no primeiro semestre. A participação é muito importante para que seja possível conhecer o retrato da saúde das pessoas no país e para o planejamento e monitoramento das ações e políticas públicas de cuidado à saúde dos brasileiros.

Portanto, Você que tem 18 anos ou mais e mora em uma das 26 capitais do país, além de Brasília, poderá receber uma ligação do pesquisador do ministério convidando-o para participar da principal pesquisa no país que mede os fatores de risco e de proteção para doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes, cânceres, obesidade, doenças respiratórias e relacionadas ao coração – principais causas de mortes no país.

Ministério da Saúde quer zerar fila de espera por cirurgias eletivas

O Ministério da Saúde reservou R$ 250 milhões a mais para aumentar o número de cirurgias eletivas a serem realizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Os repasses começam a ser feitos já em janeiro para diminuir as filas para 53 tipos de procedimentos que incluem catarata, varizes, hérnia, vasectomia e laqueadura, além de cirurgia de astroplastia de quadril e joelho, entre outras com grande demanda.

Os procedimentos com maior demanda são os oftalmológicas, para tratamento de catarata e de suas consequências, e para tratamento de doenças da retina, seguida de cirurgia para correção de hérnias e retirada da vesícula biliar.

De acordo com o Ministério da Saúde a expectativa é zerar a fila de espera de pacientes que aguardam por esses procedimentos, que não têm caráter de urgência e são de média complexidade.

O valor do repasse para o Rio Grande do Norte é de R$ 4.175.000,00