RN deve receber R$ 360 milhões em crédito. Os valores são divididos entre agricultura, pecuária, agroindústria e microcrédito rural

RN deve receber R$ 360 milhões em crédito. Os valores são divididos entre agricultura, pecuária, agroindústria e microcrédito rural
Redes Sociais

O Banco do Nordeste está aumentando sua atuação junto ao agronegócio na região e aposta no crescimento das atividades para os próximos anos. Como parte da estratégia, foi criada uma superintendência específica para atender o setor com orçamento total de R 9 bilhões para o ano 2022.
Desse total, cerca de R 360 milhões são previstos para o Rio Grande do Norte. Os valores são destinados aos segmentos agricultura, pecuária, agroindústria e microcrédito rural.
“Todas as operações ligadas ao agronegócio e que estavam espalhadas por três áreas de negócio passam a ficar sob o mesmo comando. Isso permite uma visão sistêmica e um olhar integrado. Mas, o principal é a agilidade que vamos ganhar nas operações de crédito”, afirma o presidente do BNB, José Gomes da Costa.
Uma das ações estratégicas do banco foi a mudança no cartão BNB Agro, que teve seu limite elevado de R$ 5 milhões para R$ 20 milhões, e o prazo ampliado de cinco anos para até 10 anos, em algumas operações. Além disso, esse crédito, de caráter rotativo, permite que o produtor realize aquisições de forma mais ágil por longos períodos de tempo sem necessidade de novas operações na agência bancária.
Há também mudança na definição do limite de crédito em operações de câmbio, o que aumenta a capacidade de captação de recursos pelos produtores.
A partir deste ano, o Banco do Nordeste considera as amortizações futuras de operações durante a avaliação de limite de crédito. Antes, uma nova operação só era liberada após a quitação total do empréstimo, mesmo em outras instituições financeiras. Isso permite que o produtor utilize toda sua capacidade de captação de crédito em diferentes operações de câmbio.
Atualmente, o Banco do Nordeste é líder no crédito rural respondendo por 58% dos financiamentos de longo prazo. Com uma rede com 292 agências, atende 2.074 municípios e impactou na criação ou manutenção de mais de 900 mil postos de trabalho em 2021, segundo estudo do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene).
Para Luiz Sérgio Farias Machado, que fica à frente da nova área, a mudança permitirá o acompanhado integral de todos os agentes produtivos envolvidos no agronegócio. “A sinergia da nossa equipe será muito maior porque vamos atender do micro produtor rural aos grandes projetos, passando pelos arranjos produtivos familiares. Teremos uma visão completa desse setor que emprega muito e gera impacto em toda a economia do país. Inclusive com interface das diversas cadeias produtivas”, afirma.
Fonte: NahoraRN


Redes Sociais

djaildo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.